Testemunhos


ALBERTO PEREIRA

Serra do Gerês, 24 de Agosto do ano de 2014. Não é fácil tentar por simples palavras explicar a alguém, e esse alguém pode vir dos mais variados quadrantes quer seja um familiar, um amigo ou até um simples conhecido, o que nos leva e motiva, a mim e a todos os outros amantes da natureza, a deixar para trás o conforto dos nossos sofás e a partir em direcção a um meio que muitos consideram agreste mas onde nós, os que dela gostamos, nos sentimos aconchegados e apelidamos de 'casa'. Falo-vos, é claro, da montanha! Enfrentando o frio e o calor, o vento e a chuva, carregando pesadas mochilas, superando a fome e a sede, vencendo enormes declives e caminhos por vezes á muito tempo esquecidos, semana após semana, mês após mês, ano após ano, lá vamos nós, "rotulados" de loucos em busca daquilo que para muitos é inconsequente mas que para nós faz todo o sentido: sentirmo-nos livres e vivos! Livres?! Vivos?! Mas como? Perguntarão esses, muitos, outros. Se pudesse em poucas e simples palavras descrever-vos aquilo que é indescritível, ou melhor, explicar-vos o que é simplesmente inexplicável, eu diria: não existe maior motivação do que sentirmo-nos vivos e que "por lá" tudo faz sentido e tudo harmoniosamente ocupa o seu lugar, inclusive Eu!





RUI BARBOSA



Pensei que fácil seria, ao fim de todos estes anos, descrever o que significa para mim caminhar nas montanhas. Deixei o tempo passar e descobri que não é!

Como descrever a torrente de emoções e sensações quando já a longe se vêm as cristas montanhosas a rasgar o céu? A ansiedade de pôr as botas ao caminho sem saber ao certo para onde ele me levará? É como precisar de novas palavras para descrever o que sinto, o que vejo e o que 'lá está'!

A montanha preenche-nos de uma forma como poucas coisas o fazem. Põe-nos à prova na nossa Humanidade.

Porquê caminhar na montanha e ser por momentos parte da Natureza que nos teme? Simplesmente, porque está ali, para vivermos...


Carl Sagan disse sobre a exploração Humana do Cosmos que "algures, algo incrível está à espera de ser descoberto!" referindo-se à imensidão do mar cósmico que todas as noites contemplamos e que desde o alvorecer da Humanidade despertou em nós a sede de conhecimento.
Não querendo de qualquer forma estabelecer uma comparação com o grande cientista e comunicador científico que nos deu o "Cosmos" e que a tantos de nós inspirou, pego nas suas palavras referindo-me à imensidão dos espaços que do alto dos píncaros serranos mais elevados contemplamos aos perscrutar os vastos horizontes e os profundos vales entre a Peneda e o Gerês. Por ali, algures, também algo incrível está à espera de ser descoberto!








Sem comentários: