quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Albergaria e Homem em Agosto...Gerês??????

Agosto no Gerês não é bem isso, ou seja Gerês. Pelo menos nas imediações da estrada que adentra a belíssima e incomparável Mata da Albergaria. O dia começava muito cinzento e bem cedo já, apesar do frio e da murrinha, os turistas que ouviram falar do Rio Homem e suas lagoas, começam a azáfama. Como sabem, para circular entre a Portela de Leonte e a Portela do Homem, é necessário pagar uma taxa de 1,5€. Parar a viatura entre os postos de controle é proibido e pode incorrer o infractor em coima a partir de  200€.
Ora...junto à ponte do Rio Homem já havia carros estacionados antes das 10h, hora de abrir o posto de taxas. E mesmo depois ao fim da tarde havia carros vazios na trada. Havia também congestionamento grave. Buzinas, muitos carros, gente de todo o tipo a circular a pé para ir à cascata, e uns poucos, ainda mais longe pelo estradão. Na minha subida já duas famílias a ver-me a passar de lanço, botas e vara na mão, me inquiriam se havia lagoas para cima. Mandei-as mas é passear...na mata. Não sabem nada do que as espera pelo estradão, e com crianças. Vestidas a rigor: sapatilha de ténis, calção e t-shirt. As condições eram de murrinha, frio e o piso que sabemos do estradão escorregadio. Continuei na minha vidinha até que, antes da Água da Pala...

Antes de prosseguir o relato, pf raciocinem comigo; se vissem um papel no chão de vossa casa achavam bonito? E se fosse na rua? Hâ? que pensavam? E se fosse numa zona natural? e numa zona de protecção total? e agora....esqueçam o papel, e substituam por uma garrafa, não uma lancheira/geladeira familiar!!!! Pois então é isso que estava no meio do rio abandonada provavelmente do dia anterior, com lixo dentro e a pega partida(razão provável de a terem deixado ali). E assim se vê que estamos no verão da Albergaria e Rio Homem. Tirei a coisa dali e deixei ao lado do caminho para trazer de volta para baixo no regresso da minha vidinha. Assim foi. Ao passar com aquilo vários km abaixo pelas gentes que ía encontrando olhavam de forma estranha, talvez por verem um tipo sozinho com uma arca para 20. Ao chegar á estrada, o fim do mundo: trânsito parado e carros a perder de vista, gentes a ocupara todos os cantos, carros estacionados por todo o lado, e mais acima, no posto de controlo os dois agentes do icnf a controlar as taxas. Alguém para ordem no caos ou multar os estacionados? Nadinha. Relatei e entreguei a prova do crime ao agente e pronto. Só me apetecia fugir de tanta degradação do cenário de natureza que busco.  



Conclusão: Acho que alguma coisa tinha de ser feita para a educação dos visitantes do parque. Acho que a vigilância e controlo do caos é inexistente. Acho que Nós todos em geral, somos povo muito sofrido para nos preocuparmos com o "todo"; somos iletrados, ignorantes, imitadores de modas e muito pouco refinados. Em suma, um povo embrutecido. Quase me apetece dizer: "fechem os acessos viários no verão, XIÇA!!
video


 lâmina de roçadora perto da àgua da Pala




P.S.Volta passadiço do Paiva, estás perdoado..

5 comentários:

Órion disse...

É por isso que eu gosto do Gerês no Inverno.

Abraços

Lírio disse...

...meu Deus!!! É raro ir para aquelas bandas em Agosto, fico deprimida... e acabei de sentir um pouco essa sensação novamente, depois de ler o teu texto amigo :(

Joaquim Teixeira disse...

Maravilhosa descrição duma caminhada fantástica; pena é a falta de civismo de alguns.

Alberto Pereira disse...

Boas!

Só passei aqui para dizer que isto vai passar e que logo, logo estará aí o "friinho" do Inverno para a gente se deleitar!

Grande abraço!

Célitos disse...

Olá vizinho, tem paciencia, Agosto é mês dos trekkeiros de salto alto, já estamos habituados e Fazer o Quê???
Grande Abraço
Teixeira