segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Brufe-Serra Amarela

Todo o dia pela Serra Amarela, a percorrer vezeiras, a visitar fojos de lobos e a quebrar a cabeça no enigma de quinze ou vinte casarotas perdidas numa chapada, que ou são túmulos de uma necrópele celta, ou habitações pastoris de verão, ou acampamento de tropas romanas, ou armadilhas que o diabo pôs ali para tentação de almas ignorantes. Não sei se alguém de saber já por lá passou e viu aquilo. Uma inscrição em caracteres estranho vai-se apagando no granito, os pastores vão atirando ao chão as lages que cobrem os dolmens ou as construções, e daqui a algum tempo não restará de todo o mistério nenhum sinal. Mas talvez seja melhor assim. Os mistérios são o alimento natural do tempo. E quando os anos os digerem, fica tudo em paz.

Miguel Torga
A todos os participantes da actividade em Brufe-Serra Amarela, e a todos os que não puderam participar desta vez, saudações amigas.

E obviamente difíçil explicar, o que sinto perante tamanha demonstração de amizade, companheirismo, comunhão e atracção pelos caminhos, veredas, lameiros, serras e ribeiros de portugal, tal como a testemunhei ontem. Um grupo que impressionou pela quantidade(espero foto oficial do Ivo, para depois me demorar a contar as dezenas de caminheiros que lá couberam), mas principalmente pela diversidade desta família humana que pintou um quadro multicolorido, de gerações e feitios. Um grupo que confiou num guia para se embrenhar na serra por caminhos pouco ortodoxos, para quem não a conheçe, mas que nos permitem sentir o que por outros não conseguiríamos.

Um trilho curto de 6,5 km, que partindo de Brufe, contornou o Outeiro, passando por miradouros, ribeiros, fojos de lobo, silhas de ursos, veredas, campos e aldeias, paisagens rurais e serranas belíssimas, ainda polvilhadas de branco de neve nos topos das serras. Falhámos o nascimento de dois cabritos por segundos ou minutos, mesmo assim foi bom de ver. Tudo somado, foi um convívio que deixou água no bico, que cimentou amizades, aproximou corações, fortaleceu o corpo e amenizou, (espero eu), os problemas da vida.

Obrigado a todos.

"Uma vez que tenhas provado o sabor do que é voar, irás para sempre trilhar a terra, com os teus olhos voltados para a direcção do céu, pois lá estivestes, e para lá, sempre almejarás voltar".

Parabéns ao Naim(em baixo), cujo aniversário coincidiu com a actividade em Brufe.Um caminheiro muito especial, sem dúvida e um grande exemplo...parabéns.


Brufe mundo da alma


CARREGE NA FOTO PARA VER O ALBUM

3 comentários:

Fátima Veiga disse...

Querido Caminheiro
Encontrámo- nos com a natureza, pudemos sentir a serra , ladeámos garranos, acordámos odores que não inalamos na melhor perfumaria, tivemos o privilégio de quase assistir a um nascimento e como se tudo isto não bastasse revimo-nos e cultivámos a nossa amizade, habitámos de facto o mundo da alma!

Obrigada, Nuno!
Fátima

PS- Acho que és maior que a tua sombra hehehehehe

marie disse...

Visitei o seu blog e achei-o digno de o distinguir com o selo “Blog Dorado” que me foi enviado por uma amiga.
Passe pelo meu blog (marieh49.blogspot.com) copie o selo e siga as instruções.
Um abraço!

White Angel disse...

Alex!!!!

ESPECTACULO!!!! So tu mesmo para mover tanta gente....

Parabens:) companheiro...

Abraço muito forte